fbpx

Benefícios das Extratoras Zummo

Descubra os Inúmeros Benefícios das Extratoras Zummo e Conheça a Representante Oficial em Santa Catarina: Conexo Soluções

O mercado de sucos naturais está experimentando um crescimento notável, impulsionado pela busca do consumidor moderno por um estilo de vida mais saudável e pela aspiração a uma maior qualidade de vida. Os sucos naturais oferecem uma série de benefícios que contribuem para o funcionamento ideal do organismo, o que explica a crescente preferência dos consumidores por essa opção saudável.

Benefícios dos Sucos Naturais:

  1. Emagrecimento Saudável: Diversos tipos de sucos naturais têm o poder de auxiliar no processo de emagrecimento, tornando-se aliados valiosos para quem busca manter um peso saudável.
  2. Desintoxicação Eficaz: Os sucos detox são excelentes para promover a desintoxicação do organismo, eliminando impurezas e toxinas, o que é fundamental para a manutenção da saúde.
  3. Reforço da Imunidade: Suco com alto teor de vitamina C, como laranja, limão, mexerica, mamão, entre outros, são conhecidos por fortalecer o sistema imunológico, ajudando a prevenir doenças.
  4. Ação Antioxidante: Os sucos antioxidantes, contendo ingredientes como manga, cenoura, couve e laranja, combatem os radicais livres responsáveis pelo envelhecimento precoce e danos celulares, contribuindo para uma pele mais jovem e saudável.

Além dos benefícios à saúde, o sabor é um fator de atração para o público, destacando a importância das espremedoras de sucos no mercado.

Extratoras de Suco Natural Zummo:

As extratoras de suco da Zummo são a escolha vantajosa para a produção de sucos naturais. Elas têm a capacidade de espremer diversos tipos de frutas em questão de minutos, proporcionando sucos 100% naturais, livres de conservantes e do amargor indesejado. Seus modelos tecnológicos funcionam de forma automática, eliminando a necessidade de um operador físico, o que resulta em maior produtividade e automação do processo.

Principais Benefícios das Extratoras Zummo:

  1. Sabor Inigualável com Automatização: Os sucos produzidos pelas extratoras Zummo mantêm todo o sabor da fruta, enquanto o processo é completamente automatizado para maior comodidade e eficiência.
  2. Ampla Capacidade de Armazenamento: As máquinas da Zummo possuem uma capacidade generosa para armazenar frutas em seu cesto, garantindo um fluxo de produção contínuo.
  3. Alto Rendimento da Fruta: A eficiência das extratoras resulta em um maior rendimento da fruta, o que se traduz em economia para o produtor e qualidade superior para o consumidor final.
  4. Aumento da Margem de Lucro: Com sua capacidade de produção e qualidade excepcionais, as extratoras Zummo contribuem para o aumento da margem de lucro dos estabelecimentos que as utilizam.

Conexo Soluções: Sua Representante Oficial em Santa Catarina para Extratoras Zummo

A Zummo é uma marca referência no mercado há mais de 25 anos, conhecida por oferecer máquinas de alta qualidade e rendimento para a produção de sucos naturais. E agora, em Santa Catarina, a Conexo Soluções é a representante oficial da Zummo. Com a parceria entre essas duas empresas, você pode contar com a excelência em equipamentos e o suporte especializado da Conexo Soluções para impulsionar seu negócio de sucos naturais a um patamar extraordinário.

Escolher as extratoras de suco Zummo e contar com a expertise da Conexo Soluções é a receita perfeita para atender às demandas crescentes dos consumidores que buscam uma vida mais saudável e saborosa. Invista na qualidade e no sabor incomparável dos sucos naturais Zummo com o respaldo da Conexo Soluções em Santa Catarina.

Leia Mais
SUCOS NATURAIS

A Importância do Consumo de Sucos Naturais

Refrescantes e deliciosos: assim são os sucos naturais! Além disso, são importantes para a nossa saúde e bem-estar, sendo uma excelente opção para aumentar a ingestão de vitaminas, minerais e antioxidantes.

1. Saúde e Nutrição

Com os sucos naturais é possível incluir uma grande variedade de nutrientes essenciais em nossa dieta diária de forma prática e saborosa. Ao preparar sucos com frutas e vegetais frescos, estamos fornecendo ao nosso corpo vitaminas, como a vitamina C, que fortalece o sistema imunológico, e a vitamina A, importante para a saúde dos olhos e da pele.

Além disso, são ricos em minerais, como potássio, magnésio e ferro, essenciais para o funcionamento adequado do nosso organismo. Ao consumir sucos naturais, estamos ajudando a prevenir deficiências nutricionais e promover um corpo mais saudável.

2. Hidratação

Manter-se hidratado é fundamental para o bom funcionamento do nosso corpo. Água é essencial, mas os sucos naturais também podem contribuir para a nossa hidratação diária. Eles contêm água naturalmente, além de eletrólitos, que ajudam a repor os nutrientes perdidos durante o dia.

Principalmente em dias quentes ou após atividades físicas, os sucos naturais são uma excelente alternativa para saciar a sede e repor os líquidos perdidos.

Manter-se hidratado é fundamental para o bom funcionamento do nosso corpo. Água é essencial, mas os sucos naturais também podem contribuir para a nossa hidratação diária. Eles contêm água naturalmente, além de eletrólitos, que ajudam a repor os nutrientes perdidos durante o dia.

Principalmente em dias quentes ou após atividades físicas, os sucos naturais são uma excelente alternativa para saciar a sede e repor os líquidos perdidos.

3. Antioxidantes e Combate aos Radicais Livres

Os sucos naturais são ricos em antioxidantes, substâncias que combatem os radicais livres presentes em nosso organismo. Os radicais livres são moléculas instáveis que podem danificar as células e contribuir para o envelhecimento precoce e o desenvolvimento de doenças crônicas.

Com a presença de antioxidantes, como as vitaminas C e E, beta-caroteno e polifenóis, os sucos naturais ajudam a neutralizar os radicais livres e a proteger nossas células dos danos oxidativos.

4. Digestão e Absorção de Nutrientes

Os sucos naturais podem beneficiar o sistema digestivo, especialmente quando feitos com ingredientes que são ricos em fibras, como frutas e vegetais. As fibras ajudam na digestão, melhoram o trânsito intestinal e contribuem para a sensação de saciedade.

Além disso, alguns nutrientes presentes nas frutas e vegetais são melhor absorvidos pelo organismo quando consumidos na forma líquida, facilitando o processo de assimilação desses compostos vitais.

5. Variedade e Sabor

A diversidade de frutas e vegetais disponíveis nos permite criar uma infinidade de combinações de sabores de sucos naturais. Essa variedade torna a experiência de consumir sucos muito mais agradável e interessante.

Experimente novas receitas e crie seus próprios sucos, misturando ingredientes que você gosta. Assim, você pode obter uma ampla gama de nutrientes e tornar o hábito de consumir sucos naturais ainda mais prazeroso.

Os sucos naturais são uma maneira deliciosa e saudável de aumentar a ingestão de nutrientes essenciais, manter-se hidratado e proteger o corpo contra danos causados pelos radicais livres. Eles são uma alternativa refrescante e nutritiva aos refrigerantes e outras bebidas industrializadas, que geralmente contêm altos teores de açúcar e aditivos artificiais.

Lembre-se de dar preferência a sucos feitos com frutas e vegetais frescos e evite adicionar açúcar ou adoçantes.

Aproveite a versatilidade dos sucos naturais e incorpore-os em sua rotina diária para colher todos os benefícios que eles têm a oferecer à sua saúde e ao seu bem-estar. Cuide-se e desfrute de uma vida mais saudável com sucos naturais!

Conte com a Conexo Soluções e a Zummo para consumir os melhores sucos naturais!

Leia Mais

Mercado da citricultura tem aumento nas vendas mesmo na pandemia de coronavírus

Na contramão da crise causada pela Covid-19 em diversos setores da economia mundial, a citricultura tem se mantido produtiva e com boas negociações. Empresas de Rio Claro (SP) e a região seguem registrando crescimento nas vendas.

Para o nutricionista Marco Aurélio Penteado Junior, o aumento do consumo devido aos benefícios da laranja para o organismo, principalmente no fornecimento de vitamina C, também contribuiu para o aquecimento do mercado.

De acordo com o Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), houve um aumento de 35% nesta safra, se comparadas com a anterior. De acordo a estimativa de safra do Fundecitrus, em em 2019/20 foram produzidas 386,79 milhões de caixas da fruta contra 285,98 milhões em 2018/19 .

Mercado

Em um viveiro de mudas de citros de Rio Claro os negócios cresceram. Segundo o diretor Cesar Graf, nos últimos 15 anos o mercado da laranja, muitio pautado na produção de suco, tinha perdido força para sucos artificiais, mas houve uma reviravolta e o consumidor voltou a querer a fruta.

“Se nós compararmos janeiro a maio de 2020 com o mesmo período do ano passado, nós tivemos um aumento de 19% a 20% nos negócios ”, disse.

Pomar de laranja — Foto: Fabiana Assis/G1

Pomar de laranja — Foto: Fabiana Assis

De acordo Graf, necessidade de ser ter uma alimentação saudável, rica em vitaminas, evidenciou a necessidade da laranja no cardápio. A informação voltou a circular com mais força e mudou os hábitos do consumo.

Safra e negócios

Além disso, houve uma melhora no cenário de exportações de suco de laranja no cenário mundial, sobretudo para a Ásia: as exportações para a China cresceram 37% e para a Coreia do Sul 100%. Também foi registrado aumento do suco brasileiro pelos países que compõe a União Europeia.

Para o diretor executivo da Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR), Ibiapaba Netto, a pandemia do novo coronavírus contribuiu para este crescimento.

“Dois grandes motivos: o primeiro deles é a procura por vitamina C e outro é que produtos relacionados ao café da manhã, não somente o suco de laranja, tem tido aumento de consumo expressivo porque as pessoas estão confinadas em casa. Com mais tempo disponível, sem ter que se deslocar para o trabalho, as pessoas retomaram o hábito de tomar café da manhã.”

Leia Mais

Conheça as vantagens do consumo de laranja na gravidez

Ao contrário do que é transmitido por algumas crenças populares, o consumo de laranja na gravidez é perfeitamente seguro. Além de ser um fruto delicioso, a laranja pode trazer vários benefícios se for consumida com moderação.

A laranja é uma fonte de vitamina C
Uma gestante necessita de pelo menos 85 mg diários de vitamina C para prevenir malformações cerebrais no feto, pelo que o consumo de alimentos ricos em vitamina C é aconselhável nos casos em que a gestante não esteja a receber suplementação desta vitamina. Um estudo norte-americano sugere ainda que uma dieta pobre em vitamina C poderá estar na origem de casos severos de Pré-eclampsia e HELLP.

A laranja, tal como outros citrinos (limão, toranja, lima, etc.) é uma excelente fonte de vitamina C. Segundo um estudo publicado no The American Journal of Clinical Nutrition, o consumo de suco de laranja pode aumentar em até 40% a concentração de vitamina C no sangue, o que a torna uma ótima opção para aumentar os níveis de vitamina C durante a gestação.

O consumo de laranja pode também contribuir para a prevenção de problemas de saúde não relacionados com a gravidez, tais como doenças cardiovasculares, problemas ósseos ou doenças oculares.

Possíveis riscos do consumo excessivo de laranja
Tal como qualquer outro alimento, a laranja pode causar efeitos indesejáveis se for consumida em excesso:

• Agravamento da hiperacidez
• Danos no esmalte dentário (devido à acidez)
• Problemas gastrointestinais

Algumas fontes alertam para um possível risco associado à ingestão excessiva de vitamina C, que (em teoria) poderia provocar um parto prematuro ou mesmo um aborto. No entanto, não existe evidência científica nesse sentido, pelo que à parte dos efeitos indesejáveis listados acima, não há um risco particular para a gravidez.

Em resumo
A laranja pode ser consumida com moderação durante a gravidez, podendo inclusive contribuir de forma positiva para a boa saúde da gestante e bebê.

Leia Mais

LARANJA: VERDE E AMARELA

No Brasil, a laranja não é cor de laranja, e sim verde. Ou amarela. Essa contradição cromática envolve clima e genética. Para chegar à cor laranja viva, tirando para o vermelho e não para o amarelo, como em variedades da Espanha, Marrocos ou Estados Unidos, a fruta precisa de variações de luz e temperaturas raras em climas tropicais.

Com suas laranjas verdes e amarelas, o Brasil responde por metade da produção mundial da fruta, seguido por China e EUA. O país garante mais de 75% do suco comercializado no mundo. Movimentando bilhões de dólares, o suco brasileiro chega amarelinho aos EUA, à União Europeia, Suíça, Japão, Coreia do Sul e à China, lá na Ásia, onde a laranja volta às origens.

As variedades de citros são todas originárias da Ásia, como revelou o sequenciamento de seu DNA. Elas surgiram de cruzamentos espontâneos entre quatro espécies ancestrais (cidra, tangerina, toranja e papeda).

Os primeiros citros chegaram à Europa durante a Idade Média pelas Cruzadas e pelos árabes. Eram limões e laranjas amargas cultivadas no clima mediterrânico. A palavra laranja vem do árabe nâranj, derivado de nâranga, em sânscrito, e significa “veneno para elefantes”, referência lendária a um elefante morto de tanto comer laranjas. Dizem.

A laranja doce (Citrus cinensis), a mais conhecida e cultivada, chegou à Europa graças aos portugueses e suas navegações para Índia e Ásia. A laranja é chamada literalmente de “portuguesa” em vários países: portokali em grego; portakal em turco; portocala em romeno e portogallo com diferentes grafias em dialetos italianos.

A laranja representa 35% do suco de frutas consumido no mundo.

No Brasil, a laranja também chegou com os portugueses na década de 1530. Era um recurso relevante (vitamina C) para evitar o escorbuto nas longas navegações. As primeiras plantações foram feitas na Capitania de São Vicente, litoral de São Paulo, e também no Nordeste. Bem mais tarde, a laranja-baía foi reconhecida como maior e de melhor qualidade do que as produzidas em Portugal. Começava a citricultura brasileira e o caminho para o país se tornar o maior produtor e exportador, como ocorria em paralelo com a cana-de-açúcar. A laranja é cultivada em todo o país. Há uma laranjeira para cada brasileiro: um patrimônio genético de cerca de 2 mil tipos de laranjas, tangerinas e limões, e de mais de 210 milhões de árvores.

São Paulo garante 77% da produção nacional, seguido por Minas Gerais (6%), Paraná (5%), Bahia (4%) e Rio Grande do Sul (2%). Em 30 anos, no cinturão citrícola (São Paulo e Triângulo Mineiro), a área plantada recuou 41%, de 631 mil hectares em 1988 para 376 mil em 2019. E a produção cresceu 80%, graças ao uso de tecnologias. Em 2020, a produção foi de 386 milhões de caixas em 347 municípios, contra 213 milhões em 1988. Devido ao clima desfavorável, a safra 2021 está estimada em 295 milhões de caixas. As geadas no norte do México e no Texas prejudicaram a citricultura. A redução nos estoques lá fora e a quebra de safra lá e cá manterão preços firmes na Bolsa de Nova York, compensando parte da queda na produção. E, para cada 2,5 hectares de laranjais, os produtores mantêm 1 hectare de vegetação nativa, conforme dados da Embrapa Territorial e Fundecitrus.

A laranja representa 35% do suco de frutas consumido no mundo. A quase totalidade da produção é destinada à indústria de suco. Na década de 1980, a indústria do suco se estruturou e cresceu, graças à exportação. Da laranja, além do suco, são extraídos óleos essenciais e líquidos aromáticos. O bagaço, com alto teor energético, é um subproduto industrial de grande valor econômico para a alimentação animal, em especial, vacas de leite.

A produção de laranjas sempre enfrentou grandes desafios. Entre as décadas de 1930 e 1950, cerca de 20 milhões de árvores morreram em toda América do Sul, devido à Tristeza dos Citros. A laranja azeda (Citrus arantium), o porta-enxerto de todos os pomares, era muito suscetível ao vírus responsável pela morte das plantas. Sem variabilidade genética, os danos foram generalizados. Em 1955, Sylvio Moreira, agrônomo do Instituto Agronômico de Campinas, propôs como porta-enxerto o limão cravo (Citrus limonia), resistente ao vírus. A Tristeza deixou de ser um grande problema. Doutor Sylvio recebeu o título de Arquiteto da Citricultura Brasileira em 1964.

Atualmente, o greening, causado pela bactéria Candidatus liberibacter, é um grande desafio para a citricultura. Cerca de 50 milhões de plantas foram eliminadas desde 2007. Mais de um quarto do parque citrícola paulista. O greening devastou os pomares da Flórida. Os norte-americanos tentam, sem sucesso, controlar a situação até com antibióticos, algo não autorizado por aqui. A produção da Flórida, de 240 milhões de caixas, caiu para 54 milhões. Ainda não há tecnologia para eliminar a bactéria em plantas infectadas.

Plantas transgênicas com resistência ao greening representam uma estratégia promissora e ambientalmente sustentável para combater a doença. A edição de genoma (CRISPR/Cas) busca “desligar” genes responsáveis pelos sintomas, evitando perda de produção. Outras pesquisas tentam editar genes para aumentar a produção de compostos voláteis repelentes do Diaphorina citri, inseto transmissor do greening.

Os pomares paulistas têm 55% de variedades tardias, 23% precoces e 22% de meia-estação. Essa diversificação estende a colheita ao longo do ano, evita concentrar a oferta em alguns meses e garante preços mais adequados. Isso ajuda a reduzir a incidência de doenças, limita os efeitos de variações climáticas e aumenta o período de processamento nas indústrias de suco.

Cem milhões de laranjas passam por mãos humanas na colheita. A citricultura gera cerca de 200 mil empregos diretos e indiretos: um posto de trabalho a cada 9 hectares. A cana-de-açúcar, por exemplo, demanda 80 hectares para gerar um emprego. E encerrou 2020 com destaque na geração de novos empregos. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, a atividade gerou 38.327 admissões em 2020. A laranja respondeu por mais de 6% das 605 mil novas admissões na agricultura no Brasil e mais de 10% em São Paulo.

Campo de citricultura no Brasil | Foto: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado/Divulgação

Organizada e competitiva, a citricultura é uma das mais destacadas agroindústrias brasileiras. Para manter sua liderança, ela investe na adoção de sistemas de produção sempre mais eficientes, em medidas para reduzir custos, aperfeiçoar e ampliar a comercialização do produto.

A eficiência da cadeia citrícola exige mudas e viveiros certificados, plantio e cultivo tecnicizados, produção de suco e distribuição internacional. Ela usa sistemas integrados a granel com caminhões-tanques, terminais portuários e navios dedicados. Os produtos citrícolas com dezenas de especificações e blends para variadas aplicações chegam de forma adequada aos mais diversos consumidores dos EUA, Europa e Ásia.

O suco de laranja não está numa posição confortável no mercado. Ele tem perdido espaço para novas bebidas, como isotônicos e energéticos. E, nos sucos, outros sabores têm crescido no mercado, sobretudo misturas de frutas, apesar de um pequeno aumento no consumo, devido à covid-19. Segundo a Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos, as exportações de suco de laranja rendem entre US$ 1,5 bilhão e US$ 2 bilhões por ano. Em 50 anos, a citricultura trouxe cerca de US$ 60 bilhões ao Brasil.

No samba “Laranja Madura” (1966), Ataulfo Alves diz: Laranja madura na beira de estrada está bichada, Zé, ou tem marimbondo no pé. Algo vantajoso pode conter um grave problema. A riqueza da citricultura é distribuída de forma muito desigual entre empresas e milhares de propriedades rurais. O relacionamento dos produtores com as indústrias é tenso e assimétrico.

Para a Associação Brasileira de Citricultores, a riqueza da citricultura concentrou-se num setor industrial oligopolista. Os citricultores buscam resgatar a harmonia do setor e defendem seus direitos e interesses na esfera administrativa e judicial diante de um possível cartel das indústrias. Após duas décadas de embates no Brasil, começou na Justiça da Inglaterra um processo com a acusação de formação de cartel no setor, movido por mais de 1,5 mil produtores de laranja. E não é só para inglês ver.

Leia Mais

10 USOS E BENEFÍCIOS DA CASCA DE LARANJA PARA A SAÚDE

1 – Branquear os dentes

Se você quer ter um clareamento de dentes de baixo custo e alta eficiência, então não jogue fora as cascas de laranja. Essas cascas têm propriedades que trabalham para o branqueamento dos dentes e também ajudam a remover as manchas. Esfregue a parte interior das cascas de laranja em seus dentes e veja como o seu sorriso ficará mais branco e bonito.

2 – Trata insônia

As laranjas e seu óleo essencial são muito usados na aromaterapia para diversas finalidades, e o tratamento da insônia é uma delas. Você pode deixar secar as cascas de laranja, fervê-las e inalar seu cheiro para obter um relaxamento e conseguir ter uma boa noite de sono.

3 – Limpa a pele

Se você ainda não usa as cascas de laranja em sua rotina de beleza, definitivamente deve começar a usá-las. Suas propriedades adstringentes trabalham para remover as células mortas e cravos da pele. Esfregue as cascas diretamente em seu rosto e lave com bastante água logo em seguida para promover uma pele saudável e mais limpa. Mas cuidado, não saia ao sol quando fizer esse tratamento para evitar manchas na pele.

4 – Trata a caspa

As cascas de laranja funcionam como um hidratante natural e podem ajudar a reduzir a caspa no couro cabeludo. Você deve moer a casca de laranja e deixar em seu cabelo durante a noite para ajudar a obter os resultados desejados.

5 – Ajuda a tratar a asma

A asma é uma condição em que pode tornar difícil a respiração e as cascas de laranja podem ajudar você nessa tarefa. Elas ajudam a remover um acúmulo de muco e catarro que dificultam ainda mais a respiração.

6 – Alivia dores de cabeça

Você está propenso a dores de cabeça? O cheiro das cascas de laranja funcionam como aromaterapia para reduzir dores de cabeça e reduzir os sintomas de ansiedade e depressão. Tudo que você tem a fazer é deixar secar as cascas de uma laranja, fervê-las com três copos de água e inalar seu aroma. Para facilitar essa tarefa, coloque a água quente com as cascas em uma bacia, chegue seu rosto perto (mas tome cuidado para não se queimar) e cubra com uma toalha.

7 – Combate o mau hálito

Se você tiver mau hálito, permita que o aroma cítrico da casca de laranja o ajude a combater esse mal. Basta esfregar a casca de laranja em seus dentes e gengivas e imediatamente o cheiro ruim vai embora. Você deve fazer isso diariamente para obter resultados definitivos.

8 – Ajuda a diminuir o colesterol

A casca de laranja contém hespetidina, um tipo de flavonoide com grandes propriedades para metabolizar a gordura no sangue e facilitar a sua remoção.

9 – Ajuda a perder peso

Por sua capacidade para favorecer a eliminação de gordura, a infusão de casca de laranja, é recomendada também para acompanhar sua dieta para perder peso.

10 – Repelente de insetos

A casca de laranja funciona como repelente de insetos, pois contém um composto chamado pineno, que tem propriedades inseticidas, e ajuda a deixar a casa livre de mosquitos. Essa é uma boa alternativa aos inseticidas industriais que contêm substâncias químicas nocivas que podem prejudicar as crianças ou seu animal de estimação.

Leia Mais

Nova Marca Zummo: Conheça nossas novas soluções naturais

A ZUMMO evoluiu! Além de apresentarmos soluções para bebidas naturais, agora também oferecemos soluções que facilitam a sua rotina. Por isso, no mês de novembro, nós repaginamos o nosso logotipo para fazer jus a essa nova fase da ZUMMO, com um estilo mais intimista, vivo e naturalmente fresco.

Provavelmente você nos conheça pela nossa tecnologia em extração de suco de frutas, mas também temos máquinas desenvolvidas para cortar, descascar, liquidificar e fatiar frutas. Tudo para que você possa oferecer mais opções saudáveis aos seus clientes.

Aproveite para conhecer nossas novas soluções e surpreenda-se com sabores 100% naturais, doces e nutritivos, para que o seu estabelecimento obtenha um diferencial saudável e consequentemente aumente a sua lucratividade.

Convidamos você a assistir agora nosso vídeo de apresentação dessa nova fase da ZUMMO!

Vamos encerrar 2021 com grandes realizações e iniciar 2022 em um novo momento.

Leia Mais

21 Alimentos ricos em vitamina C

Os alimentos ricos em vitamina C, como morango, laranja e limão, ajudam a fortalecer as defesas naturais do corpo porque combatem os radicais livres, que são prejudiciais quando estão em excesso no organismo, facilitando a instalação de algumas doenças.

A vitamina C deve ser consumida regularmente porque este nutriente facilita a absorção do ferro no intestino, sendo particularmente indicada no tratamento contra a anemia. Além disso, a vitamina C facilita a cicatrização da pele e melhora a circulação do sangue, sendo ótima para ajudar na prevenção de doenças cardiovasculares como a aterosclerose e pressão alta, por exemplo.

Lista de alimentos ricos em vitamina C

A tabela a seguir indica a quantidade de vitamina C presente em 100 gramas do alimento:

Alimentos ricos em vitamina CQuantidade de vitamina C
Acerola941,1 mg
Pimentão amarelo cru201,4 mg
Suco de laranja natural73,3 mg
Caju219,3 mg
Mamão papaia82,2 mg
Kiwi70,8 mg
Goiaba vermelha80,6 mg
Limão 38,2 mg
Tomate cru com semente21,2 mg
Tangerina Poncã48,8 mg
Manga Palmer65 mg
Laranja baía57 mg
Brócolis cozido42 mg
Couve flor cozida23,7 mg
Repolho roxo refogado40,5 mg
Batata doce cozida23,8 mg
Morango63,6 mg
Abacaxi34,6 mg
Melancia6,1 mg
Suco de limão natural34,5 mg
Suco de abacaxi20 mg

Além disso, outros alimentos com vitamina C, embora em menor quantidade são a alface, alcachofra, melão, banana, espinafre, abacate, maçã, cenoura, ameixa, abóbora e beterraba. Para se obter uma boa quantidade de vitamina C, o ideal é consumir os alimentos frescos ou em sucos.

Quantidade diária recomendada de vitamina C

A quantidade diária de vitamina C recomendada varia de acordo com os hábitos de vida, a idade e o sexo:

Crianças e adolescentes:

  • 0 a 6 meses: 40 mg.
  • 6 a 12 meses: 50 mg.
  • 1 a 3 anos: 15 mg.
  • 4 a 8 anos: 25 mg.
  • 9 a 13 anos: 45 mg.

Homens:

  • 14 a 18 anos: 75 mg.
  • A partir de 19 anos: 90 mg.

Mulheres:

  • 14 a 18 anos: 65 mg.
  • A partir dos 19 anos: 75 mg.
  • Gravidez até 18 anos: 80 mg.
  • Gravidez a partir de 19 anos: 85 mg.
  • Amamentação até os 18 anos: 115 mg.
  • Amamentação a partir de 19 anos: 120 mg.

No entanto, existem algumas situações em que o organismo precisa de maiores quantidades da vitamina C. Por exemplo, fumantes devem ingerir mais 35 mg de vitamina C do que a quantidade diária recomendada. Além disso,, situações como diarreia, cirurgias, resfriados, gravidez ou amamentação também podem aumentar as necessidades de vitamina C pelo organismo.

Leia Mais

Saiba o que é o colesterol e como mantê-lo sob controle

Você se sente confuso em relação às informações que ouve sobre colesterol? Saiba que você não está sozinho. Ao longo dos anos, as descobertas dos cientistas mudaram a maneira como se avalia o colesterol. Assim, antes era um vilão completo e depois foi dividido em bom e mau colesterol. E o que dizem as mais recentes pesquisas sobre o colesterol? Colesterol alto faz mal? É bom comer gorduras saturadas? Essas e outras respostas foram respondidas pela Academia Americana de Dietética. E prepare-se, os novos dados devem fazer o aconselhamento nutricional mudar.

Colesterol alto faz mal?

O colesterol é uma substância cerosa encontrada em muitos dos alimentos que comemos e também nas células do nosso corpo. Por isso, nossos corpos precisam de algum colesterol para funcionar normalmente e pode produzir todo o colesterol necessário. Por exemplo, o colesterol é usado para fazer hormônios e vitamina D. Além disso, ele também desempenha um papel na digestão.

Existem três tipos principais de colesterol no corpo. O HDL, ou colesterol bom, ajuda a remover o excesso de colesterol do corpo. O LDL, ou colesterol ruim, em altas quantidades leva a um acúmulo de placas nas artérias. O VLDL, por sua vez, também contribui para isso.

Outra substância incluída nos testes laboratoriais de lipídios são os níveis de triglicérides, um tipo de gordura. Triglicérides altos podem ser um sinal de excesso de gordura corporal ou aumento do risco de diabetes tipo 2. Eles também podem indicar o consumo de muitas calorias, especialmente de grãos refinados ou alimentos e bebidas com açúcares adicionados. Triglicérides também podem ser elevados em pessoas que fumam ou bebem muito álcool.

Sendo assim, se houver muito colesterol no corpo, ele se acumula. O acúmulo de cera, chamado placa, adere ao interior das artérias. Como as artérias estreitam e entopem, o sangue passa a fluir de maneira mais difícil através delas. Desse modo, o bloqueio pode levar a coágulos sanguíneos, derrame ou doença cardíaca.

Fatores de risco incluem genética, idade e medicamentos

Há diversos fatores de risco que podem elevar o colesterol de uma pessoa:

  • Genética: O colesterol alto pode ser uma característica presente em algumas famílias.
  • Idade: À medida que envelhecemos, nossos níveis de colesterol aumentam.
  • Medicamentos: certos medicamentos podem elevar os níveis de colesterol.
  • Obesidade: Indivíduos com índices de massa corporal com excesso de peso ou obesos correm maior risco de ter colesterol alto.
  • Dieta: consumir grandes quantidades de gorduras saturadas e trans pode elevar os níveis de colesterol LDL.
  • Inatividade: atividade ajuda a elevar o colesterol HDL. A falta de atividade tem o efeito inverso – aumenta o colesterol LDL.
  • Tabagismo: os produtos do tabaco diminuem o HDL e aumentam o LDL. A ligação entre fumar e colesterol alto é maior para as mulheres.

Colesterol alto, e agora?

Bem, já sabemos que o colesterol alto faz mal. Se for em razão da genética, talvez seja necessário tomar um remédio para reduzir os índices. No entanto, todas as pessoas com colesterol alto podem se beneficiar de um estilo de vida saudável do coração. E, se você estiver em risco, mudanças simples no estilo de vida podem ajudar a reduzir o risco.

Para isso, é necessário manter uma dieta equilibrada, ser fisicamente ativo e alcançar um peso corporal saudável. Quando se trata de um plano de alimentação saudável, quatro mudanças na dieta podem ajudar a manter seu colesterol sob controle:

Desfrute de alimentos com esteróis vegetais e estanóis

Alguns alimentos – óleos vegetais, nozes, sementes e cereais integrais – contêm substâncias chamadas esteróis vegetais e estanóis. Por isso, comer alimentos ricos nessas substâncias pode ajudar a combater os níveis de colesterol total e LDL.

Limite sua ingestão de gordura saturada

As gorduras saturadas são encontradas principalmente em alimentos de origem animal, como carnes e laticínios integrais. Uma alta ingestão de gordura saturada pode contruibuir para elevar o LDL, ou seja, o colesterol que faz mal quando alto. Além disso, estudos também mostraram que a substituição de fontes de gordura saturada por gorduras insaturadas pode ajudar a diminuir os níveis de colesterol total e LDL.

Para ajudar a reduzir o consumo de gordura saturada

Cozinhe com óleos vegetais, como azeite, canola, girassol e cártamo. Coma alimentos ricos em ácidos graxos ômega-3, como salmão, nozes e linhaça moída. Escolha produtos lácteos com baixo teor de gordura ou sem gordura. Ou seja leite com 1% de gordura, iogurte sem gordura ou queijos com baixo teor de gordura.

Além disso, troque a manteiga e a banha por opções de óleo vegetal mais saudáveis. Também evite gorduras trans – elas aumentam os níveis de LDL e são encontradas em alimentos altamente processados.

Selecione Proteínas Magras

Proteínas magras fornecem menos calorias de gordura. Por isso, opte por cortes magros. Para saber como escolher, confira as dicas:

  • Verifique o pacote para as palavras lombo ou redondo.
  • Retire a pele do frango e do peru para obter uma opção mais saudável.
  • Opte por assar, cozinhar, refogar ou grelhar carnes magras, peixes e aves.
  • Depois de cozinhar a carne moída, retire cuidadosamente o excesso de gordura.
  • Evite carnes gordas, marmorizadas ou fritas e outros alimentos ricos em gordura saturada
  • Escolha opções mais saudáveis ​​quando comer fora, selecionando alimentos assados, cozidos ou grelhados.
Leia Mais

Vitamina C: quais os benefícios e como consumir?

A vitamina C é uma substância muito importante para o organismo, atuando como antioxidante e redutora do colesterol, para citar apenas alguns exemplos. Porém, fatores como seus reais benefícios e a quantidade ideal de consumo acabam vez ou outra se tornando alvos de boatos falsos.

Neste artigo, trazemos um levantamento completo e verificado por fontes científicas sobre a vitamina C, dos cuidados com a ingestão exagerada às principais formas de consumi-la. Confira!

Benefícios da Vitamina C

É verdade que vitamina C é capaz de curar gripes e resfriados? Quais as vantagens do consumo da substância?

Na lista abaixo, saiba mais sobre os seus principais benefícios, comprovados cientificamente:

  • antioxidante, a vitamina C atua no fortalecimento do sistema imunológico. Por incentivar o organismo a produzir glóbulos brancos, ela auxilia o corpo no combate a vírus e bactérias;
  • ela contribui para a redução do colesterol LDL (o “colesterol ruim”) e dos triglicerídeos;
  • auxilia no processo de cicatrização;
  • é considerada um ótimo rejuvenescedor da pele, reduzindo rugas e marcas de expressão;
  • é capaz de ajudar o organismo na absorção do ferro não-heme (alimentos fonte de origem vegetal, como as verduras verde escuras),  evitando a anemia por deficiência de ferro;
  • é uma das substâncias responsáveis pela produção da carnitina, composto formado a partir de aminoácidos essenciais, como a lisina e a metionina, que auxilia no emagrecimento ao potencializar a queima de gordura corporal.

Qual quantidade de Vitamina C devo consumir?

quantidade ideal de ingestão diária de vitamina C depende, principalmente, do gênero e da idade de cada pessoa. Porém, outros fatores como a gravidez podem aumentar a necessidade de consumo. Confira:

  • crianças de 1 a 3 anos: 15mg;
  • de 4 a 8 anos: 25mg;
  • de 9 a 13 anos: 45mg;
  • meninas entre 14 e 19 anos: 65mg;
  • meninos entre 14 e 19 anos mulheres adultas: 75mg;
  • homens adultos: 90mg;
  • gestantes: 85mg;
  • durante o pós-parto: 120mg.

É necessário, portanto, entender que nosso corpo não precisa ingerir mais do que essa recomendação diária. O consumo exagerado de vitamina C pode trazer alguns problemas, como dores abdominais, diarreia, pedras nos rins, cólica e dor de cabeça.

Para evitar que isso aconteça, basta consumir diariamente alimentos que sejam fontes dessa vitamina, e não recorrer aos suplementos desnecessariamente. 

Vitamina C de farmácia funciona?

O que acontece é que muitas pessoas substituem os alimentos ricos em vitamina C pela suplementação em altas doses com o intuito de prevenir gripes e resfriados. Esse mito se tornou ainda mais popular com o surgimento da Covid-19. Porém, isso não é possível

Cientistas também já provaram que o consumo exagerado da substância não tem eficácia para pessoas em condições normais de saúde. O excesso da vitamina é eliminado pela urina. 

A não ser que você tenha uma deficiência comprovada dessa vitamina em seu organismo, o suplemento comprado em farmácias – e isso inclui o uso dos comprimidos efervescentes – não tem efeito significativo no corpo humano. Esse consumo adicional só é recomendado em casos especiais, como mulheres no pós-parto, fumantes, atletas, e pessoas com saúde debilitada ou em pós-cirúrgico.

Se você não se encaixa nesses casos, nem tem prescrição médica/nutricional para isso, deixe de desperdiçar dinheiro com comprimidos efervescentes e corra ao mercado ou à feira.

Quais as principais fontes de vitamina C?

Não sabe quais ingredientes adicionar à sua rotina de alimentação para garantir o consumo da vitamina C? Abaixo, listamos algumas das principais fontes dessa substância que podem ser utilizadas nos mais diversos modos de preparo e receitas. Aproveite para conhecer também outros benefícios desses alimentos.

Brócolis

Além de pouco calórico, o brócolis é muito nutritivo e também uma das mais conhecidas fontes de vitamina C. Para ter ideia, 100g de brócolis cozido possui em média 89,2mg dessa vitamina hidrossolúvel. Pode ser preparado de diversas formas, sendo o cozimento a vapor e em água as mais comuns. Bastante versátil e saboroso, ele é utilizado em saladas, massas e refogados.

Alguns outros benefícios garantidos pelo consumo recorrente de brócolis são o controle do açúcar no sangueregulação do intestino e a melhora da função cerebral.

Goiaba vermelha

Originária da América tropical, a goiaba é uma fruta de sabor adocicado conhecida como a base da famosa goiabada. Mas além do preparo como doce, sucos e vitaminas de goiaba também são maneiras saborosas de consumir os nutrientes da fruta.

Além de ser rica em vitamina C (228mg em 100g do alimento), ela traz benefícios à pele por possuir licopeno e vitamina A, tem um elevado teor de fibras e é capaz de reduzir o estresse em função da presença de magnésio.

Repolho

Assim como o brócolis, o repolho faz parte da família dos crucíferos e tem quantidades mínimas de calorias. Utilizadas principalmente em saladas, as folhas do repolho são ricas também em vitamina K, conhecida também como vitamina anti-hemorrágica. Essa substância atua na coagulação sanguínea e na fixação do cálcio no organismo.

Pimentão 

pimentão-vitamina-c

O pimentão funciona como ingrediente nas mais diversas receitas, desde geleias e antepastos a saladas e molhos. O pimentão recheado é também uma alternativa fácil e rápida de refeição.

Todos os tipos de pimentão possuem vitamina C em sua composição, mas o vermelho é o campeão comparado ao amarelo e ao verde. Possui cerca de 190 mg de vitamina C (em 100g do alimento). 

Outros benefícios dos pimentões são sua ação expectorante, a manutenção de ossos e dentes e a indução da termogênese.

Caju

O caju e o suco proveniente desse pseudofruto são muito subestimados no dia a dia. Além da considerável quantidade de vitamina C presente em sua composição, ele também possui magnésio, zinco, fósforo e cálcio. Alguns de seus benefícios são a perda de peso, o auxílio na prevenção da catarata e o controle da diabetes.

Agora, se você pensa que o suco é a única forma de consumir caju, está muito enganado. Além de doces como geleias e mousse, a carne de caju vem se tornando nos últimos anos uma opção vegana saborosa em substituição à carne vermelha.

Laranja

Essa talvez seja a mais conhecida e consumida das fontes de vitamina C. O consumo diário de laranja garante a quantidade ideal de ingestão de vitamina C, pois 100 gramas dele equivale a 53,2 mg da substância. 

O consumo da laranja também é capaz de prevenir pedras nos rins. O ideal é consumi-lo sem coar para garantir as fibras da fruta.

Salsa

A salsa, salsinha ou perrexil é uma hortaliça fácil de ser encontrada e que pode ser cultivada em casa sem muitos esforços. Com seu sabor suave, muitos podem considerá-la apenas uma decoração para o prato, mas a verdade é que ela é uma rica fonte de vitamina C. 

Molhos, maioneses e receitas como guacamole, purê e empanados se dão muito bem acompanhados de salsa. Por também ser composta de ferro e ácido fólico, pode ajudar na prevenção à anemia.

Acerola

acerola-vitamina-c

De todos os alimentos citados, a acerola é a que tem a maior quantidade de vitamina C: 1677,6mg/100g do produto.

Embora os diversos sucos preparados com essa fruta talvez sejam a forma mais conhecida de consumi-la, sua geleia também é uma opção deliciosa, acompanhando torradas no café da manhã. 

A acerola apresenta baixo teor calórico e ainda é fonte de potássio.

Embora tenhamos destacado apenas alguns alimentos, praticamente todas as frutas e verduras têm níveis significativos de vitamina C em sua composição.

Melão, agrião, kiwi, rúcula, espinafre, tomate, manga, morango, limão, abacaxi, tangerina, batata doce, folhas de nabo, folhas de beterraba, rabanete são outras fontes da substância que você deve inserir em sua alimentação.

Como aproveitar melhor a vitamina C nos alimentos?

Como você já conhece boa parte dos alimentos ricos em vitamina C, separamos também algumas dicas de como prepará-los sem perder seus nutrientes. Confira:

Não deixe de molho por muito tempo

Prepare verduras e frutas com a menor antecedência possível. Ao mantê-las de molho por mais de meia hora, pode ocorrer perda de vitaminas.

Corte os alimentos no momento do preparo

Não faça isso com muita antecedência, para evitar a perda de nutrientes e não deixá-los expostos.

Cozinhando em água

Alguns nutrientes ficam na água do cozimento. Reduza as perdas colocando os alimentos em água fervendo. Quando cozinhar os legumes dessa forma, aproveite o caldo para fazer uma sopa ou um delicioso risoto.

Panela de pressão é uma ótima alternativa

Como o tempo de cozimento é menor, há maior aproveitamento nutritivo dos alimentos.

No vapor é melhor ainda

Aqui não há perda de sais minerais e se perde muito pouco das vitaminas. 

Grelhar é boa opção

Nesse tipo de preparo, as proteínas superficiais coagulam rapidamente, evitando a saída de água do alimento e, por consequência, dos nutrientes.

Consuma sucos imediatamente após o preparo

Quando trituramos, há aumento na perda de vitaminas porque uma grande quantidade de oxigênio entra no alimento. Além disso, a vitamina C é sensível à luz. Portanto, se o seu consumo não for imediato, coloque-o em jarras escuras.

Leia Mais
  • 1
  • 2